sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

PENSAMENTO ELEITO...

PENSAMENTO ELEITO COMO O MELHOR:

 Otavio Ianni, no artigo “O declínio do Brasil-Nação”, escreve: “Esta é a ironia da história: o Brasil nasce no século XVI como província do colonialismo e ingressa no século XXI como província do globalismo”.

domingo, 26 de novembro de 2017

O QUE A PETROBRAS TEM A VER COM A CRISE QUE ASSOLOU O BRASIL...

Para o bem da verdade, nada! P’ra começar a crise econômica que atingiu vários países, a maioria endividados europeus e alguns de forma amena fora da União Europeia, tinha relação direta com a economia norte-americana. Outra grande verdade precisa ser escancarada, é que a crise veio dos USA e começou com a dèbâcle imobiliária, quando a inflação corroendo o “poder aquisitivo” da população, forçou os mutuários do “sistema imobiliário” devolver milhares e até milhões de imóveis por incapacidade de solvência. Os USA acudiu o Sistema Imobiliário (1 e 2) para não quebrar os bancos com prejuízos que chegaram a trilhões de dólares (3), todos com recursos repassados pelo FED (Federal Reserve). Por outro lado, os USA estavam com sua economia desarranjada, déficit em crescimento vertiginoso e muitas megas empresas em ruínas por administração criminosa. Entretanto, não é  isso que cria problemas econômicos e sociais no país do norte; as guerras, por exemplo, visando domínio e poder econômico, é o que leva uma grande parte de seu orçamento. Gastam bilhões/trilhões de dólares com com invasões, material bélico, bases militares, frotas de aviões em prontidão e, ainda, o "terrorismo" que não vai dar trégua, etc., etc., em contraste com a pobreza no mundo que não tem a assistência que precisa (4). O Brasil, embora retardadamente, sentiu direto os efeitos da crise americana, pois teve que aumentar os Juros Selic (taxa básica) para que o crédito não se desenfreasse e com ela viesse a inflação com o aumento de preços. Como os americanos dominam o Mercado de petróleo através da OPEP, em vez de emitir mais moeda, optaram por provocar o aumento do petróleo. Com o petróleo mais alto, a Petrobras ainda capitalizada, já que não somos autossuficientes na produção, não quis repassar o aumento aos consumidores, absorvendo tais somas, mas compensando com suas reservas financeiras. A Petrobras surgiu posteriormente no “núcleo da crise” para justificar o objetivo da sanha das petroleiras estrangeiras uma vez que a nossa Petrobras, apesar dos efeitos globais dos “descaminhos da economia brasileira”, ia muito bem quanto ao seu desempenho operacional, tanto que descobriu o Pré-Sal e este poderia ter levado o país aos píncaros da gloria, não fosse terem montado uma Operação de “caça aos corruptos” já sob o “olho de um esquema político” concebido especialmente para desmoralizar nossa petroleira que chegou a ser a quarta maior do mundo! Tanto isso é verdade, que só foi a Petrobras descobrir o Pré-Sal e dele tivesse a confirmação de seu efetivo potencial, para que a conspiração entreguista viesse logo em seguida! Corrupção no Brasil sempre houve em larga escala, todavia no passado sem o aparato de meios eletrônicos digitais para informações em “tempo real” os “processos de auditorias e investigações” eram lentos e ineficazes. No entanto, os ímprobos em promiscuidade com políticos de baixa moral e ética, estão migrando para outras modalidades de prevaricação e corrupção, como por exemplo, o tráfico de influência, as operações casadas, as compras de decisões/acórdãos nos tribunais, infiltração para obtenção de informações privilegiadas, a abertura de ruas e estradas asfaltadas em regiões pré-escolhidas, nomeações “frias” em “Diários Oficias” secretos, pagamentos a serviços inexistentes através de “empresas laranjas” e muitas outras. Este é o país do presente. Se em curto prazo tivermos um país melhor tudo dependerá de uma “reação pacífica” do povo, porém severa e persistente e sempre nas ruas até a derrubada definitiva de governos da “pior espécie” como este que aí está. Mesmo em “crises severas” que assolou o país, um governo sério e justo não pode acertar a economia e finanças só exigindo sacrifício do povo, mas deixando incólume as classes empresarias, banqueiros e rentistas. É preciso que a maioria da população entenda que é ELA (população) que tem a FORÇA, pois é a mesma como consumidora final que paga todos os tributos. Portanto, desvios de recursos financeiros dos Cofres Públicos devem ser tratados como "crimes hediondos", já que lesa toda a sociedade, inclusive os mais pobres.                   

(3) http://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/apos-crise-global-estourar-em-2008-bancos-receberam-socorros-bilionarios-13495994
(4) Assistir não é dar "esmolas" simplesmente. 



quinta-feira, 16 de novembro de 2017

GILMAR MENDES É UM MINISTRO POLÊMICO?


Roger Abdelmassih um pseudo-profissional da medicina, tarado e estuprador (1), com 52 casos da espécie atentados contra mulheres, foi condenado a 278 de prisão. “No dia 17 de agosto de 2009, o Juiz da 16ª Vara Criminal de São Paulo Bruno Paes Stranforini decretou a prisão de Abdelmassih. Em 24 de dezembro do mesmo ano, após quatro meses de cadeia, Abdelmassih foi solto após o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, ter concedido na véspera habeas corpus revogando a prisão preventiva do médico. Logo após a sua soltura o mesmo fugiu como era de esperar, claro! O médico Roger Abdelmassih, que teve seu registro profissional cassado em 20 de Maio de 2011, foi condenado em 23 de novembro de 2010, a 278 anos de prisão pela juíza Kenarik Boujikian Felippe, da 16ª Vara Criminal de São Paulo. Ele foi acusado de 278 estupros de pacientes em sua clínica, localizada em uma área nobre da capital paulista. O advogado dele, José Luís de Oliveira Lima, confirmou a decisão ao G1 e disse que iria recorrer. Foram três condenações por estupro, algumas por atentado violento ao pudor e houve absolvições” (2). Um indivíduo deste, se é que podemos adjetivar como “cidadão”, com crimes tão ou mais hediondos que os do Médico alemão Josef Mengele cognominado o “Anjo da Morte”, jamais poderia ter sido solto sob a alegação de estado de saúde precária ou outra alegação qualquer. Ou nossas leis são por demais complacentes ou nossos juízes são exageradamente condescendentes.  A propósito de Juiz complacente, a soltura do Sr. Abdelmassih pelo Ministro Gilmar Mendes provocou um protesto geral das mulheres que foram vítima do monstro. Todos os argumentos dispendidos pelo Juiz Gilmar Mendes para soltar o “taradão” poderia ter sido facilmente empenhados para mantê-lo preso já que à época ainda gozava de razoável saúde. Mas, a questão da higidez do réu em caso de condenação é relativa em determinados países, muitos até evoluídos. Vejam, por exemplo, o caso de “pena de morte” no Japão, cuja população tem um nível alto de instrução acadêmica, todavia seus métodos aos condenados à morte são criticados até pelas Nações Unidas.

    
(1) Médico de alto nível em “Reprodução Humana”, mas estuprador!


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

O FUNERAL DAS "MÍDIAS"....

O FUNERAL DAS "MÍDIAS"
 

Os filhos sem os empregos;
Para fugir da hostilidade;
Irão arriscar-se no exterior;
A custa de nossa saudade.


O retrocesso da economia;
É coisa só da corrupção?
Pela paralisia do Governo;
Parece ainda conspiração!

Trocaram a Presidenta;
Para o povo não Temer;
Com políticos de oposição.;
Sabe-se lá quem vai saber.

Tenho visto muitas crises
Quase todas sempre iguais;
Certamente por trás disto;
Estão as sanhas internacionais.

O povo trabalha árduo;
Para cobrir o grande rombo;
Não debitado aos ricos;
É obreiro que leva o tombo?

O PIB de seis trilhões;
Encargos sociais aos picos;
P’ros CREDORES da DÍVIDA;
E "rentistas" ainda mais ricos!

A votação na Camara Federal;
Era um bando de teleguiados;
Para o funeral da Presidenta;
Maioria dos pares cooptados.

A corrupção dos políticos;
Gasta 5% do PIB brasileiro;
Mas o neoliberal sobrevive;
Com o “sangue” do obreiro.
(Veronesi, I.)

terça-feira, 10 de outubro de 2017

PENSAMENTO DO DIA...


 AS ALEIVOSAS MEDIDAS ECONÔMICAS DO GOVERNO TEMER!


As terceirizações amplas, gerais e irrestritas do potencial empresarial brasileiro e até do Serviço Público é uma tentativa inócua do Governo Temer (leia-se idéia da equipe Meirelles) para estimular o emprego, aumentar o PIB e arrecadar mais, mas sem nenhum estimulo à empregabilidade e ao fomento de meios financeiros às atividades econômicas, exceto, é claro, a liberação recente das “Contas Inativas” do FGTS dos trabalhadores, cujo volume (32 bi) estavam parados e veio melhorar o “poder de compra” e, para muitos trabalhadores, o pagamento de “velhas dívidas”  Vejamos. O que trará as terceirizações é apenas o aparecimento de mais empresas de médios e pequenos portes concorrendo à divisão do Produto Interno Bruto (PIB) que, quando não cai, fica estagnado ou apresenta aumento pífio não trazendo, portanto aumento do “meio circulante” e à arrecadação de tributos. E se trouxer, muito pouco será. Sem contar, por verdade, que quem suporta a "Carga Tributária" não é o empresário, já que é um simples repassador, mas o consumidor final. O importante a frisar é que este (des) Governo, sem ter de onde tirar mais dinheiro, aumenta os impostos, taxas, contribuições gerais e tarifas para aliviar um pouco à pressão empresarial, retira antigas conquistas e vantagens trabalhistas para repassar àqueles, tenta desregulamentar (já desregulamentando) o Serviço Público, jogando por terra o “Sistema do Mérito” (leia-se concursos públicos e outras medidas), tudo sob a esperança de que Estado menor é mais eficiente e eficaz. Muito pelo contrário! O Estado deve ter o tamanho necessário com base em estudos, em especial no que diz respeito ao seu maior patrimônio “os recursos humanos” (servidores). Quando menciono servidores refiro-me a "recursos humanos" qualificados e não "pessoas introduzidas" no Serviço Público por "critérios políticos", como soe acontecer, para formar um enorme "cabide de empregos". Para que o leitor tenha uma ideia, o Serviço Público nunca fez um estudo de “tempos e movimentos” também conhecida como “cronoanálise” do trabalho para captar as necessidades de mão-de-obra em cada Ministério ou unidades autônomas. Em fim, o sonho do nosso saudoso Belmiro Siqueira (1) foi p'ro brejo com um Estado em retrocesso a "passos largos". Está, por exemplo, o INSS, um dos integrantes da Seguridade Social, totalmente sucateado, onde não se preenche por concursos mais de 20 mil vagas e faltam até papel toalhas e higiênicos para as necessidades pessoais dos Servidores. Aí vem, a lamentável justificativa, a saída é “privatizar tudo”! Mas, privatizar a pobreza não resolve nada, além do país ficar sem "riquezas patrimoniais" ainda ter que se sujeitar ao controle de preços e tarifas internacionais e, certamente, virá a aumentar as Dívidas (interna e externa).
(1) Ver em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Belmiro_Siqueira             

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Pensamento do dia


“Protecionismo exacerbado”

Uma velha raposa política de uma republiqueta latina sul-americana, ao discursar na ONU, entre outras colocações de sua fala, disse que certos líderes não devem cultivar um “protecionismo exacerbado”. Todos (os perceptivos) devem captar que entremeado ao seu pensamento (e intenção) está sua política de “entreguismo desbragado”, o que é altamente pernicioso para uma Nação que teria como objetivo despontar na líderança do avanço de suas conquistas em tecnologias avançadas. Entregaram as rodovias, as ferrovias, as indústrias químicas e farmacêuticas, a metalurgia, a siderurgia, os minérios, as elétricas, as indústrias de base e o agro-negócio, tudo sob a alegação de que era para melhorar as condições econômicas do país! Agora, apenas para fazer caixa, já que não é investimento e nem tem volta, querem entregar o restante, tais como, os aeroportos, a Eletrobrás, terminais de carga e até as Loterias da CEF. (1) Nosso “gigante adormecido” certamente vai entrar em letargia perene, como a hoje pobre Argentina, uma pérola de um passado recente. Quem viver verá!    


(1) http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/09/governo-temer-anuncia-concessao-ou-venda-de-25-projetos-de-infraestrutura.html     

sábado, 16 de setembro de 2017

MOBILIDADE URBANA E INTERURBANA...

A MOBILIDADE URBANA E INTERURBANA...


O maior crime praticado no Brasil nesse segmento foi impedir por causas escusas, a introdução de outros modais de transportes de pessoas e de cargas. Mas, isso não foi por acaso, nem tampouco por incompetência de pessoas (meros gestores) (1) responsáveis por estas áreas de atividades. O Brasil, lamentável e, adredemente, optou, ainda que de forma precária e finita, apenas pelo rodoviário, o mais oneroso e problemático de todos os disponíveis, sem contar que desativou o transporte ferroviário, deixando criminosamente suas malhas, vagões e composições ultrapassados apodrecendo e sucateados, mesmo os privatizados, como o caso de ALL (América Latina Logística) e outras pelo país afora com finalidade turística também precária, como é o caso da Serra do Mar no Paraná. Utilizar os rios, que são muitos e navegáveis, nem pensar, já que este modal é menos oneroso e, por isso, não desperta interesse à hegemonia mafiosa deste “gigante totalmente adormecido”. Temos, amiúde, visto Capitais como Curitiba, onde nunca se pensou em projetos como Metrôs e Trens de periferia, ou melhor, se pensou sim, mas foram todos abortados por "pressão consentida" de segmentos das empresas de ônibus de cinco famílias, para continuar andando nas “canaletas” subutilizadas onde se encontra os Tubos sufocantes, sem conforto e perigoso para a saúde dos usuários, nas quais se poderiam estar correndo os VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos). Assim, vamos suportando na cidade  um “Transporte Público” (ônibus) controlado por uma “caixa preta” chamada URBS (2), agora ainda mais protegida pelo Prefeito eleito, cada vez pior e problemático, açodado por greves, tarifas que aumentam aos “suspiros do petróleo”, já que este se submete a preços externos em cotações do “dólar”, pois a Petrobrás sucateada não consegue ser autossuficiente na produção, hodiernamente, mais do que nunca, pois o Serra conseguiu fatiar de forma ruinosa (3) para o país a potencialidade das reservas do Pré-sal. Sem contar que o modelo brasileiro, se é que assim podemos adjetivar, está com suas vias totalmente congestionadas, tanto nas estradas, mal projetadas e construídas, quanto nas vias urbanas das cidades, sendo o maior exemplo, o de São Paulo. Se o país tivesse adotado outros modais, como, por exemplo, os trens elétricos e rios, as rodovias não teriam o acúmulo de veículos que temos hoje com acidentes pavorosos ceifando vidas que sobem a mais de 50 mil por ano (4).  Se não mudarem a curto prezo, com certeza, vai ficar PIOR! Quem tem o maior interesse na manutenção deste modal são fábricas de pneus, de ônibus, caminhões em larga escala, distribuidoras de petróleo e outros produtos afins. Para as empreiteiras de Obras não faz diferença, já que as mesmas terão serviços em quaisquer dos modais. A grande Paris (5), por exemplo, com 12 milhões de habitantes é uma cidade bem planejada em matéria de mobilidade. Lá você, turista ou não, dispõe de sete modalidades de transportes, quais sejam: metrô, trens elétricos e rodovias de periferia de alto tráfego, o rio Sena e seus afluentes, todos utilizáveis, VLTs pelas grandes avenidas, ônibus, táxis e Uber. Sem contar o excelente acesso ao interior do país. Quer mais? Vai lá que você vê! Mas, lá na França predomina o “legítimo interesse público”, como é e deve ser. Aqui predomina o aleivoso “interesse privado” dos mais corruptos.


(1) Administradores profissionais tem compromisso com a Ciência da Administração.
(2) https://www.urbs.curitiba.pr.gov.br/            
(4) http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2014/09/mais-de-50-mil-pessoas-morrem-por-ano-vitimas-de-acidente-de-transito.html   
(5) https://pt.wikipedia.org/wiki/Grande_Paris